domingo, 16 de janeiro de 2011

Por aqui mesmo.


Com o passar do tempo, muitas das minhas amizades perdem a essência. E até o "Oi" entre essas amizades, passa a ser algo insignificante. Gostaria de voar mais, encontrar coisas novas. Mas em cada cantar do passarinho, me volto para a minha realidade e percebo o quanto os momentos mais simples da minha vida fazem falta.

Mas eu estou feliz.

Acreditem.

Tudo pode mudar. O vento pode ir de um lado para o outro. Mudando o rumo da minha história, mas se estou aqui. Por que teimar? Por que mentir? Porque realmente eu sei que é aqui que eu deveria estar.

Aqui que eu deveria voar.


É por aqui.


Nada mais que por aqui e por aí.






Até breve,

Borboleta.

2 comentários:

Jessica Torres disse...

Você escreve como uma fofa! Eu gostei do que você escreveu, e comigo também ocorrem esses desencontros... As amizades vão se desfazendo sem eu perceber e as vezes até mesmo sem eu querer. Mas a vida é assim mesmo. Eu acabei concluindo isso, com o tempo. Que tudo, até as amizades se perderem, acontece pra abrir espaços na nossa vida, pra retirar as coisas que já nos ensinaram o que precisávamos e pôr novas coisas que nos ensinarão uma lição diferente. Tudo pra ir constituindo aos poucos nossa história.

um beijo, borboleta! ;*

Thaís Felix de Oliveira disse...

Liberdade e coisas novas são duas necessidades.